Iranduba: Belezas Naturais e Agricultura Atrativos Turísticos R - EAD
Artigos

Iranduba: 31 anos de emancipação política

Atualizado em 11/12/12
Por J. Ray Lima

A pequena vila criada em 1976 pelo então Prefeito de Manaus, Coronel Jorge Teixeira, com 87 famílias vindas da várzea do Solimões, foi emancipada em definitivo no dia 10 de dezembro de 1981, pela Emenda Constitucional Nº 12.

O município amazonense que concentra o maior número de sítios arqueológicos já foi berço de outras civilizações. A história registra que caçadores-coletores fabricantes de instrumentos de pedra lascada viveram por aqui cerca de 7.500 anos antes de Cristo.

Depois, foi a vez dos grupos indígenas ceramistas que ocuparam as terras até o século 16, quando os primeiros europeus chegaram à região.

O primeiro relato da região de Iranduba vem do diário de bordo do padre Gaspar de Carvajal, numa expedição comandada pelo Capitão Francisco de Orellana, em 1542.

Em 1641 o padre Cristóbal de Acuña nomeia a região dos atuais municípios de Manacapuru e Iranduba como Província de Carabayana, cujos moradores mantinham um comércio constante com os povos do rio Negro, uma agricultura na várzea durante o período de seca do rio e a prática do canibalismo, ato praticado por alguns animais, que consiste em devorar outros da mesma espécie.

Mais adiante, no período do ciclo da borracha, a região voltou a se desenvolver e caiu no ostracismo com o seu fim.

Com o início da Zona Franca de Manaus e do Distrito Industrial, a economia foi reativada.

Em 09 de abril de 1963, pela Lei nº 07, sancionada pelo Governador em exercício Anfremon D´Amazonas Monteiro, Iranduba foi emancipado pela primeira vez, tendo como Prefeito nomeado o Senhor Isaias Vasconcelos, que dá nome à mais antiga Escola da cidade.

Em 24 de julho de 1964, pela Lei nº 41, o governador Arthur César Ferreira Reis extinguiu.

Há 17 anos, arqueólogos de todo o mundo estudam as origens de Iranduba, fortemente vocacionado para o turismo de selva, produção de artigos cerâmicos e variedades em hortifrutigranjeiros.

A pequena vila criada em 1976 pelo então Prefeito de Manaus, Coronel Jorge Teixeira, com 87 famílias vindas da várzea do Solimões, foi emancipada em definitivo no dia 10 de dezembro de 1981, pela Emenda Constitucional Nº 12.

O ato do Governador José Bernardino Lindoso criou de uma só vez 15 novos municípios no Amazonas.

A primeira eleição direta em Iranduba foi em 15 de novembro de 1982. Na ocasião foram eleitos o Prefeito Nelson de Souza Maranhão, a Vice-Prefeita Maria da Glória Sales e os Vereadores Almir Oliveira de Medeiros, Francisco Maquiné de Souza, que dá nome ao Plenário da Câmara Municipal; Rubens Pimentel, Estelita Vasconcelos dos Santos, Carlos Alves da Costa, Edmilson Carneiro Neto, João Batista de Almeida, João Alves Batista e Nilo Florêncio Nunes, os quais tomaram posse no dia 1º de fevereiro de 1983.

De lá para cá, cinco administradores comandaram a Prefeitura local: o próprio Nelson Maranhão, que teve dois mandatos de Prefeito; o Tenente Coronel Antônio Ferreira Lima, que foi interventor durante um ano, no primeiro mandato de Maranhão; José Maria Muniz, eleito três vezes; Laerson Abess Farah, que cumpriu mais da metade do primeiro mandato de Muniz, e Nonato Lopes, que está a 20 dias de concluir o segundo mandato consecutivo.

Xinaik Medeiros, eleito há pouco mais de dois meses, é o primeiro Prefeito da história de Iranduba que nasceu no próprio município, mais precisamente na Costa do Catalão.

Neste feriado municipal em que Iranduba completa 31 anos de fundação, irmanamo-nos a todos os conterrâneos comprometidos com o bem comum e com a plena cidadania dos homens e mulheres que aqui habitam, e oramos a Deus para que abençoe as nossas autoridades, as nossas famílias e a nossa terra.

Fonte: Facebook

 

Outros artigos:
 
Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados - Desenvolvido e mantido por Ewsite.NET | Administração