Atrativos Turísticos Iranduba: Belezas Naturais e Agricultura R - EAD
Artigos

CÂMARA MUNICIPAL DE IRANDUBA: PRIMEIRO, CONHEÇAMO-LA; DEPOIS, AVALIEMO-LA!

Atualizado em 07/04/13
Por J. Ray Lima

Vejo uma enquete em andamento nesta rede social (Facebook), visando avaliar o desempenho dos atuais Vereadores de Iranduba; e, semelhantemente ao Jornalista Paulo Onofre, penso ser ainda muito cedo para isso, pois há muitos deles ainda se familiarizando com o cargo e tomando consciência das suas reais atribuições.

Todavia, é oportuno alertar que é impossível alguém avaliar aquilo que não conhece. Eu que acompanho a história da Câmara Municipal de Iranduba desde sua fundação, em 1983, posso afirmar que ao longo desses 30 anos nunca houve em tempo algum a preocupação da aludida casa em dar satisfação à sociedade de forma ampla e irrestrita acerca de seus atos.

Convém lembrar que até os próprios registros internos da dita casa, que são as Atas das Sessões Ordinárias, não estariam completos, pois, segundo fontes, os referidos documentos, onde estava a história dos primeiros três anos da Câmara Municipal, teriam sido queimados em 1986, durante o conhecido levante popular sobre o qual já me reportei em outro artigo postado nesta rede social, sob o título “Incendiários ou Revolucionários?”.

Já presenciei na tribuna desse Legislativo, em suas três décadas de existência, os melhores e os piores discursos, também os mais célebres e os mais hilários pronunciamentos; já vi meritórios, impudentes, atuantes e relapsos Edis, as mais louváveis e as mais nauseabundas iniciativas por parte desse Parlamento, mas tudo o que chegou à opinião pública acerca do dia a dia do Legislativo irandubense foi muito pouco, e, tão somente, por meio das pessoas que vão às sessões ou dos próprios Vereadores. Cada vez com mais frequência, alguns tabloides (noticiosos escritos), também, têm ajudado a contar parte dessa história, mas não na sua íntegra; apenas a parte que interessa a esse ou àquele Vereador, que, logicamente, paga pela publicação do material. Nada errado quanto a isso!

Porém, a falta de publicidade oficial e ampla dos atos do Legislativo (e quando digo ampla me refiro a TODOS os Vereadores, de situação ou de oposição), além de privar os munícipes de saberem como estão atuando os seus legítimos representantes, eleitos pela maioria dos eleitores – conscientes ou “cooptados” (?) – vejo que tem penalizado os próprios membros do Parlamento. Não tem sido raro ao longo desses 30 anos a gente ouvir pessoas dizerem algo do tipo: “esses Vereadores não fazem nada”. E quem acompanha de perto o andamento da Câmara Municipal sabe que isso não é verdade. Sempre houve e há Parlamentares atuantes, preparados, assíduos e probos; e também sempre houve e há os que fugiram e fogem a alguns ou a todos esses princípios.

E como a sociedade vai fazer essa avaliação – e ela é necessária – se não lhe são dados a conhecer os trabalhos dos Edis? Aí, só quem frequenta a sede do Legislativo e se interessa por essas questões é quem fica sabendo, e quase sempre, de muito pouco do que ocorre por lá.

Então, penso que antes de começar a avaliar quem é o mais atuante Vereador da atual Legislatura é necessário primeiro exigir que a Câmara preste contas à sociedade acerca dos seus atos. Como? Há várias formas; uma delas é utilizar a emissora de televisão local, a Boas Novas, canal 7, para veicular, na íntegra, sem qualquer censura, as sessões legislativas. Seria uma excelente oportunidade de as pessoas que não têm tempo ou interesse de ir à Câmara receberem em suas casas as imagens e o áudio das reuniões ordinárias. E há outras tantas formas de divulgar as ações do Legislativo.

Aproveitando que estamos falando em divulgação, a Direção da Câmara Municipal precisa URGENTEMENTE disponibilizar um retorno de áudio na galeria (em baixo) para facilitar o trabalho da gente da imprensa. A forma como está hoje o sistema de som dificulta muito a nossa atuação, e a gente finda por não captar um áudio de qualidade, tanto para o Rádio quanto para a TV.

Bem, tornando cada vez mais transparentes as ações do Parlamento, aí, sim, a sociedade terá subsídios para avaliar de forma justa e criteriosa o trabalho de cada Vereador, principalmente quando chegarem as próximas eleições municipais.

E não nos esqueçamos: como diz a própria Constituição Brasileira, “Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.”

Fonte: Facebook

 

Outros artigos:
 
Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados - Desenvolvido e mantido por Ewsite.NET | Administração